Música clássica

87 – Sinfonia nº6 de Beethoven (Danilo Guanais)

A sexta Sinfonia de Beethoven possui uma particularidade importante: a relação de cada um de seus cinco movimentos com um roteiro programático, ou seja, com a descrição de cenas e paisagens do campo. As associações foram feitas pelo próprio compositor, que adicionou descrições aos nomes de cada um dos movimentos. Por este motivo, a Sinfonia é conhecida como “Pastoral”. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

86 – Sinfonia nº5 de Beethoven (Danilo Guanais)

Uma das obras mais célebres de todo o repertório de concerto, a quinta Sinfonia de Beethoven demonstra muito bem sua genial capacidade de criação. No primeiro movimento, a partir de um mero motivo de 4 notas, o compositor desenvolve todas as ideias centrais da estrutura. O quarto movimento amplia a palheta de sons da orquestra sinfônica, com a inclusão do flautim, trombones e contrafagote. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

85 – Sinfonia nº4 de Beethoven (Danilo Guanais)

A quarta Sinfonia de Beethoven foi composta em 1806. O contexto de sua criação está ligado curiosamente à segunda Sinfonia, que fora apresentada pela orquestra particular do Conde Franz von Oppersdorf, por ocasião da visita de Beethoven e do príncipe Lichnowsky, patrono do compositor. O conde ofereceu uma larga soma de dinheiro pelo privilégio de ouvir uma nova Sinfonia do mestre. A estreia teve lugar no ano seguinte, em concerto privado, em Viena. Visite a página do podcast Música Viva…

0
Read More

84 – Sinfonia nº3 de Beethoven (Danilo Guanais)

Considerada como um marco de transição entre os períodos Clássico e Romântico, a terceira Sinfonia de Beethoven representa também o início de sua chamada segunda fase criativa. Por causa de sua exuberante e inovadora dramaticidade, ficou conhecida como “Heróica”. Originalmente dedicada a Napoleão Bonaparte, teve a inscrição removida pelo compositor, num acesso de fúria, após a notícia de que Napoleão havia se auto intitulado imperador. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

83 – Sinfonia nº2 de Beethoven (Danilo Guanais)

A segunda Sinfonia de Beethoven foi composta em sua maioria durante um retiro do compositor, por indicação médica. Sua crescente surdez, àquela altura, já dava mostras de que seria incurável, o que o levou a quadros recorrentes de depressão. Ainda de influência clássica, possui como principais inovações: a inclusão de um Scherzo no lugar do tradicional Minueto e Trio, no terceiro movimento; a grande extensão do segundo movimento, e a alusão a seus próprios problemas gástricos, como inspiração para as…

0
Read More

82 – Sinfonia nº1 de Beethoven (Danilo Guanais)

Este episódio marca o início de um ciclo no qual apreciaremos todas as 9 Sinfonias de Beethoven. São obras que atravessam as três fases distintas de sua trajetória como compositor. A primeira Sinfonia, de influência clássica, já demonstrava algumas ousadias no emprego da harmonia e da instrumentação, revelando a Viena e ao mundo, em 1800, a personalidade que transformaria a música de sua própria época. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

81 – As Bachianas de Villa-Lobos (Marcus Varela)

O ciclo das Bachianas Brasileiras de Heitor Villa-Lobos é formado por 9 obras, compostas entre 1930 e 1945, para formações instrumentais variadas. Recebe este título em homenagem a Johann Sebastian Bach, uma vez que as alusões ao grande compositor barroco são mescladas com elementos da cultura popular brasileira, coletados por Villa-Lobos em suas muitas andanças pelo país. Os movimentos recebem um título bachiano ou europeu e um subtítulo brasileiro, como por exemplo: Prelúdio (Ponteio), Fuga (Conversa) ou Ária (Cantiga). Visite…

0
Read More

80 – Concerto Grosso (Marcus Varela)

Dedicaremos este episódio a um gênero musical importante do período Barroco: o Concerto Grosso. Trata-se de um tipo de concerto no qual um grupo maior de instrumentos (conhecido como ripieno) opõe-se a um grupo menor (o concertino). O grupo menor atua como solista, dialogando com o restante da orquestra. O gênero, porém, não ficou restrito ao Barroco, como poderemos constatar nesta audição. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

79 – Compositores Precoces (Marcus Varela)

Neste episódio teremos a chance de ouvir obras compostas por nomes importantes da literatura musical, criadas quando eles ainda eram adolescentes, ou até mesmo crianças. Vamos conhecer ou relembrar o que foram capazes de conceber mentes como a de Mozart, aos 8 anos; Mendelssohn, Saint-Säens e Korngold, entre 12 e 15 anos de idade. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

78 – Fantasia (Marcus Varela)

A Fantasia é um gênero instrumental que vem desde o Renascimento. A palavra, derivada do grego, já era conhecida e utilizada em várias línguas na Idade Média para denotar algo imaginário, livremente concebido pela imaginação. Na música, o essencial da Fantasia é a sua liberdade de criação. O compositor pode empregar qualquer inspiração que deseje, sem estar preso a um modelo formal. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

77 – Sinfonia do Novo Mundo (Marcus Varela)

A nona e última Sinfonia do compositor tcheco Antonín Dvorák foi composta nos Estados Unidos em 1893, fruto de um convite do Conservatório Nacional de Música de Nova Iorque para lecionar composição e atuar como diretor artístico. Os muitos temas criados por Dvorák para esta obra são influenciados pelas canções de trabalho das plantações, por negro spirituals e melodias nativas do novo continente, e alguns contêm igualmente as cores da região natal do compositor, a Bohemia.      Visite a página…

0
Read More

76 – Estudo (Marcus Varela)

O Estudo é um gênero musical curioso, por almejar o valor didático aliado com o artístico. Este último fator o distingue de um mero exercício. Estudos são obras para treinar e aperfeiçoar a técnica do instrumentista, explorando alguma particularidade da execução: intervalos, escalas, acordes, velocidade, articulações, entre muitas outras possibilidades. Existem Estudos de composição também, para testar ou aprimorar o uso de materiais, estruturas, instrumentação e orquestração, técnicas harmônicas ou rítmicas, correntes estéticas, entre outras ideias. Visite a página do…

0
Read More

75 – Serenata (Marcus Varela)

O termo Serenata deriva do latim serenus, que significa claro, límpido. No italiano, sereno é uma palavra associada às noites de céu aberto e tranquilo. Era justamente em noites assim, que os apaixonados costumavam tocar e cantar para suas amadas, que ouviam das varandas ou janelas, numa tradição iniciada na Idade Média. Ouviremos as diferentes conotações que a Serenata adquiriu com o passar do tempo, transformando-se gradualmente de um gênero vocal para instrumental, dos pátios abertos ao ar livre para…

0
Read More

74 – Poema Sinfônico (Marcus Varela)

Quando a música é composta tendo como base uma sucessão de eventos externos, como um texto ou a descrição de uma paisagem, a chamamos de música programática, ou descritiva. O gênero mais importante deste contexto é o Poema Sinfônico, termo criado por Franz Liszt. É escrito para orquestra e possui apenas um movimento. Sua estrutura interna é livre, ficando o compositor à vontade para criar de acordo com a temática de sua inspiração. Visite a página do podcast Música Viva…

0
Read More

73 – Contos de Fada (Marcus Varela)

Somos seres fascinados por histórias. Independentemente da época ou da cultura, o imaginário humano está repleto delas. Música e imaginação têm muito a ver uma com a outra, de modo que os compositores aproveitam o poder narrativo e simbólico dos sons para dar vida a muitas histórias. Neste episódio ouviremos versões de contos antigos, presentes na literatura de concerto, tratados com técnica, criatividade e uma dose importante de drama. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

72 – Impressionismo (Marcus Varela)

Movimento estético originado no final do século 19, o Impressionismo representou a primeira grande quebra em relação à tradição musical tonal, apontando caminhos para a música contemporânea. Na pintura é caracterizado pelo jogo de luzes e cores, que leva à percepção do objeto ou da paisagem, sem contornos definidos. Na música o equivalente seria a ausência de uma tonalidade bem definida, em que os acordes não encadeados e as escalas não tradicionais levam a um estado de flutuação, estimulando a…

0
Read More

71 – Valsas de Strauss (Danilo Guanais)

Existem pelo menos 5 compositores importantes com o sobrenome Strauss. Apenas um deles, porém, ficou conhecido por suas Valsas, tendo criado mais de 500 obras com gêneros similares para se dançar. Trata-se do austríaco Johann Strauss II. Ouviremos uma seleção de suas músicas. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

70 – Concerto para piano no.5 de Beethoven – “Imperador” (Danilo Guanais)

O último dos 5 concertos para piano de Beethoven recebeu o título de “Imperador” por seu editor, sem a intenção do compositor, e após a sua morte. Foi criado em Viena em 1809, época em que a cidade estava sitiada pelos exércitos de Napoleão. O barulho das bombas e tiros danificava ainda mais a já debilitada audição de Beethoven, que não mais atuava como pianista ou como regente. Ouviremos uma bela performance com Evgeny Kissin ao piano, a Philarmonia Orchestra,…

0
Read More

69 – Concerto para piano no.20 de Mozart (Danilo Guanais)

A lista de Concertos para piano de Mozart é extensa e multifacetada. São 27 no total. Os 4 primeiros são arranjos orquestrais de Sonatas criadas por outros compositores. Os Concertos 7 e 10 são para mais de um piano solista. Desta forma, a lista conta com 21 Concertos originais para (um) piano e orquestra. Tomando-se o catálogo completo (27 Concertos), ouviremos o de número 20, que se destaca por sua dramaticidade, gerada pelo emprego de uma tonalidade menor. Visite a…

0
Read More

68 – Concerto para piano no.1 de Tchaikovsky (Danilo Guanais)

Tchaikovsky possui 3 Concertos para piano em seu vasto catálogo de composições. O primeiro deles, concluído em 1875, é uma de suas obras mais populares. Um fato curioso sobre o primeiro movimento foi a criação do famoso tema principal, baseado na cultura popular ucraniana. Tchaikovsky teve a ideia após ouvir a melodia num mercado, apresentada por um músico itinerante cego. Estes músicos eram chamados de lirnyks, e cantavam canções de cunho religioso ou histórico, numa tradição iniciada no século 15.…

0
Read More

67 – Concerto para violino de Tchaikovsky (Danilo Guanais)

Composto em 1878, e estreado em 1881, o Concerto para violino de Tchaikovsky é considerado, juntamente com seu primeiro Concerto para piano, sua mais importante contribuição para o gênero. Aos 37 anos de idade, recuperando-se de um casamento que durou apenas seis semanas, o compositor passou seis meses em um balneário suíço, onde pôde criar o Concerto, a Sinfonia no.4 e a Ópera Eugene Onegin. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

1
Read More

66 – Concertos para violino – parte II (Danilo Guanais)

Como complemento do episódio anterior, em que iniciamos uma série com Concertos para violino de diferentes períodos, ouviremos na íntegra os Concertos de Felix Mendelssohn e Erich Korngold. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

1
Read More

65 – Concertos para violino – parte I (Danilo Guanais)

Iniciamos uma série de dois episódios, nos quais teremos a chance de ouvir 4 Concertos completos, sendo cada um de um período histórico diferente. Neste primeiro encontro ouviremos O Verão, de Vivaldi e o Concerto para Violino no.5, de Mozart. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

64 – Música Popular e Música de Concerto (Danilo Guanais)

Música de concerto e música popular possuem suas diferenças, mas isto não impede que possam aliar suas características e linguagens, o que ocorre com frequência. Compositores eruditos tomam melodias e idiomas de culturas populares e os transformam, criando obras com novas identidades. Canções populares são criadas, às vezes, acrescentando letras a temas já existentes no repertório de concerto. Enfocaremos esta segunda perspectiva. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

63 – Influência do Jazz (Marcus Varela)

O Jazz representou uma revolução no pensamento musical do século 20. Sua espontânea genialidade influenciou a música de concerto, desde a época do Ragtime. Compositores como Debussy e Stravinsky ficaram impressionados com a vitalidade do novo estilo, e criaram obras que evocavam os primórdios do idioma jazzístico. Ouviremos algumas fases da mistura entre os dois universos, incluindo Gershwin e compositores mais recentes, como David Baker e Nikolai Kapustin. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

62 – Percussão (Marcus Varela)

Os instrumentos de percussão fazem parte de nossa história desde os tempos mais remotos da humanidade. Seu verdadeiro potencial, porém, só foi aproveitado pelos compositores a partir dos últimos 150 anos. Hoje em dia, o número de instrumentos disponíveis é praticamente ilimitado. Ouviremos apenas uma pequena parcela dessa enorme diversidade, enfocando os instrumentos mais utilizados na música sinfônica ou na música de câmara. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

61 – Instrumentos peculiares da orquestra (Marcus Varela)

Ouviremos alguns instrumentos de timbres ou registros sonoros especiais, geralmente reservados para ocasiões particulares pelos compositores. Alguns possuem registros extremos, no agudo ou no grave. Na orquestra, quando um deles é incluído em uma obra, o músico que toca um instrumento similar é geralmente quem se encarrega de executar as passagens, trocando momentaneamente de instrumento. Algumas obras, porém, pedem a presença desse instrumento como um elemento fixo. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More

60 – Cordas (Marcus Varela)

Os instrumentos de cordas são geralmente classificados de acordo com a maneira como as cordas são colocadas em vibração. Podem ser dedilhadas, como no caso do violão e da harpa, percutidas, como no caso do piano, ou friccionadas (com um arco). Violino, viola, violoncelo e contrabaixo pertencem a este último grupo, e juntos correspondem ao chamado naipe das cordas em uma orquestra sinfônica. Ouviremos estes 4 instrumentos em destaque, num repertório que inclui Bach, Villa-Lobos, Rubbra e Rautavaara. Visite a…

0
Read More

Recital de Ayrton Vinicius (Flauta) – Junho de 2019

O Audotório Onofre Lopes Digital apresenta o recital de câmara do curso de bacharelado em flauta de Ayrton Vinicius que aconteceu no dia 03 de Junho de 2019 sob orientação do Prof. Alexandre Johnson. O recital contou com as participações de Guilherme Mattos no violão e da Profa. Nan Qi no piano. Programa: Recital de Ayrton ViniciusAuditório Onofre Lopes, 03 de Junho de 2019 Violao: Guilherme MattosPiano: Nan Qi Músicas: Mauro Giuliani:Grande dueto concertante (Op.52) para flauta ou violino e…

0
Read More

59 – Madeiras (Marcus Varela)

O naipe das madeiras é formado tradicionalmente por estes quatro instrumentos: flauta, oboé, clarinete e fagote. Ouviremos a sonoridade de cada um isoladamente, além da chance de conhecermos uma amostra do que são capazes em termos técnicos e expressivos, atuando como solistas em Concertos de Rossini, Vaughan Williams, Kachaturian e Lukas Foss. Visite a página do podcast Música Viva e ouça outros episódios

0
Read More