Filarmônica UFRN

Nascida como Orquestra Sinfônica da UFRN, em 2009, o grupo mudou o seu nome para FILARMÔNICA UFRN em 2019. A Filarmônica vem, a cada concerto, se firmando como um dos principais ensembles orquestrais do Nordeste. O grupo, de 50 integrantes, é formado exclusivamente por alunos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, oriundos dos cursos técnico, licenciatura, Bacharelado e Mestrado em Música. Os ensaios acontecem três vezes por semana, possibilitando um concerto mensal em duas sessões, o que constitui um valiosíssimo laboratório que proporciona aos alunos a vivência profissional de uma orquestra, desde a seleção anual com testes às cegas, até o contato com grandes solistas e regentes. O repertório é selecionado por uma comissão de professores de diversos instrumentos, que constituem a Direção Artística da Filarmônica.
Dentro do repertório erudito o grupo tem executado obras de Beethoven, Dvorak, Tchaikovsky, Mozart, Shubert, Shumann, Mendelssohn, Guerra-Peixe, Danilo Guanais, Carlos Gomes, Villa-Lobos, etc. Trabalhou com maestros como Jean-François Rivest (Canadá), Guilherme Bernstein (RJ), Nachum Erlich (Alemanha), Matthias Boeringer (Alemanha), José Renato Aciolly (PE) e Santiago Meza (Chile). Atuou também junto de solistas como: Ítalo Babini (violoncelo), Martin Ostertag (violoncelo), Fany Solter (piano), Katrin Melcher (viola), Daniel Guedes (violino), Stefano Algieri (tenor), Durval Cesetti (piano), Michael Uhde (piano), Alessandro Borgomanero (violino), Benedict Kloeckner (violoncelo), Gabriela Pace (soprano), Song Quiang (violino), Katharina Uhde (violino), Ney Rorauro (percussão), Alvaro Siviero e Charles Schlueter (trompete).
Em junho de 2015 o grupo realizou sua primeira turnê para a Alemanha. O projeto foi realizado em pareceria da UFRN com o DAAD (programa de intercâmbio do governo alemão) e a Hochschule für Musik Karlsruhe. Os alunos tiveram a oportunidade de ter aulas com professores de renome internacional e realizar dois concertos: um em conjunto com a orquestra da Hochschule e outro com repertório de exclusivo de peças brasileiras, tendo sido agraciada com críticas bastante positivas.
Dentre os integrantes da Filarmônica, alguns músicos vêm se destacando através da obtenção de prêmios nacionais e internacionais, como, por exemplo, o violoncelista Diego Paixão, que através prêmio no Festival de Inverno de Campos do Jordão ingressou na École Normale de Musique de Paris (França). Outro destaque é o aluno Lucas Barros (violoncelo), vencedor do Concurso “International Cello Competition ‘David Popper’ for Young cellists” na Hungria.
Nos anos de 2013 a 2015, a orquestra realizou cerca de 90 concertos atendendo os estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Alagoas, Pernambuco Paraíba e São Paulo.  Em 2018 torna-se a primeira orquestra Brasileira a se apresentar perante o Papa durante a Urdienza Generale do Vaticano, no dia dedicado a padroeira das Américas.

Temporada Oficial 2019